Ogum

“ERA DE MADRUGADA QUANDO EU OUVI O TOQUE DE ALVORADA…
OGUM IARA COM SUA ESPADA NA MÃO…
SEU SETE ONDAS, BEIRA MAR, OGUM MEGÊ, OGUM ROMPE
MATO, OGUM IARA, OGUM MATINATA, OGUM…
MEU PAI OGUM COM SUA ESPADA NA MÃO,
PARA NOS DEFENDER DE TODOS OS NOSSOS CONFLITOS…
AO LONGE JÁ SE VIA UM BATALHÃO,
ERA SEUS FILHOS NA UMBANDA CANTANDO ESTE REFRÃO:
OGUM! OGUM! VEM ABRIR NOSSOS CAMINHOS… VENHA
PRA NOS PROTEGER.
OGUNHÊ BATACURI”.

Guia – vermelha leitosa…azul rei e em algumas circunstancias verde
Símbolo – Espada (pode ser também ferramentas, ferraduras, lança e escudo)
Dia da semana – terça feira
Saudação – Ogun Iê
Bebida – cerveja branca
Comida – Cará, feijão mulatinho com camarão e dendê, manga espada
Dia comemorativo – 23 de Abril
Sincretismo – S. Jorge
Qualidades – Tisalê, Xoroquê, Ogunjá, Oniré, Alagbede, Omini, erotondo, Akoro Onigbe

OGUM: Divindade masculina Iorubá, bastante cultuado, especialmente por ser associado à luta, à conquista. É guerreiro sempre foi a figura mítica do Deus mais invocada, já que é sua função realizar no astral as guerras que os seres humanos não conseguem travar ou vencer na sua luta quotidiana. Ogum, Orixá da guerra, do ferro e do metal. ferreiro por profissão, pois sempre fez as ferramentas para as lidas com a terra; é também o Orixá que venceu muitas batalhas por amor. Ogum será sempre nosso defensor e está sempre disposto a nos ajudar e a defender uma justa causa.

Assim. Ogum não é apenas o que abre as picadas nas matas e derrota os exércitos inimigos; é também aquele que abre os caminhos para a implantação de uma estrada de ferro, instala uma fábrica numa área não industrializada, promove o desenvolvimento de um novo meio de transporte, luta não só contra o Homem, mas também contra o desconhecido.
É pois o símbolo do trabalho, da actividade criadora do Homem sobre a natureza, da produção e da expansão, da busca de novas fronteiras, de esmagamento de qualquer força que se oponha á sua própria expansão É o Orixá das contendas, seu nome traduzido significa luta, batalha, briga.
É filho de Iemanjá e irmão mais velho de Exu e Oxóssi. Por este ultimo nutre um enorme sentimento, um amor de irmão verdadeiro porque foi Ogum quem deu as armas de caça a Oxóssi. O sangue que corre no nosso corpo é regido por Ogum. Considerado um Orixá impiedoso e cruel, temível guerreiro que brigava sem cessar contra os reinos vizinhos, pode passar esta imagem, mas também sabe ser dócil e amável. é a vida na sua plenitude. é muito mais paixão do que razão: aos amigos, tudo, inclusive o doloroso perdão: aos inimigos, a cólera mais implacável. Digamos que Ogum é, em si mesmo, os olhos atentos da Lei, sempre vigilante e pronto para agir onde lhe for ordenado.
Ogum foi casado com Iansã que o abandonou para seguir Xangô, Oxum, mas vive só, batalhando pelas estradas e abrindo caminhos.
Uma frase muito dita no Candonblé e, que agrada muito a Ogum é a seguinte:

Bi omodê bá da ilé, Ki o má se da Ògúm.
(uma pessoa pode trair tudo na Terra Só não deve trair Ogum)

Teófilo Pereira
Jornal Exercito de OXALÁ Junho 2010

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s